Cinque Terre: Guia completo sobre as aldeias mais coloridas de Itália

Vernazza

Queres viajar até às Cinque Terre em Itália? Sabe tudo sobre as aldeias, preços, alojamento e como chegar às vilas coloridas com este guia.

Chegou finalmente a nossa oportunidade de vos contar um pouco sobre as Cinque Terre, as aldeias mais encantadoras da Ligúria, na Itália. Já durante este ano tivemos a maior sorte do mundo de conhecer estes lugares que parecem pintados por Deus e, portanto, queremos ajudar-te a planeares as tuas próximas férias.

Vamos responder a todas as tuas dúvidas: Onde ficam as Cinque Terre? Como chegar? Quanto custa? Onde dormir? O que fazer nas Cinque Terre? Preparámos um guia completo com tudo aquilo que precisas saber sobre este lugares e que normalmente só os habitantes locais conseguem explicar com minúcia. Andiamo?

Cinque Terre
Riomaggiore ao anoitecer © lavidaesmara

As cinco aldeias das Cinque Terre

Muitos provavelmente não sabem, mas Cinque Terre significa “Cinco Terras” e são um dos lugares mais incríveis na Itália. Estão situadas na costa norte da península, na famosa Riviera Italiana, na província de La Spezia, região da Ligúria.

As Cinque Terre tem uma beleza inconfundível, caracterizada pelas suas colinas, pelas suas vinhas e ainda por edifícios coloridos junto de penhascos assombrosos.

Manarola
Manarola ao pôr-do-sol © lavidaesmara

O turismo destas aldeias é vital na economia italiana e, desde 1999, fazem parte do Parque Nacional das Cinque Terre, por disporem de elementos únicos em toda a Itália. Falamos do parque nacional mais pequeno do país (com 3.860 hectares), mas também o mais densamente populado (com 4.000 habitantes). Estes habitantes são a alma das Cinque Terre.

Estas são as cinco terras de Itália:

  • Riomaggiore (10,7 km2)
  • Manarola (integra a comuna de Riomaggiore)
  • Corniglia (integra a comuna de Vernazza)
  • Vernazza (12 km2)
  • Monterosso al Mare (11 km2)

¿Qué vas a hacer en Cinque Terre?

O principal objetivo do Parque Nacional das Cinque Terre é garantir que o Homem preserva a sua identidade, a sua serra e o seu mar. Qualquer pessoa que até ali viaja perceberá rapidamente que o contacto com a natureza é gigantesco, mesmo com a presença turística seja infinita.

Não é por acaso que as Cinque Terre também integram o Património Mundial da UNESCO. Conhece a seguir cada uma destas aldeias e o que fazer nas Cinque Terre.

Riomaggiore

Riomaggiore
Riomaggiore © lavidaesmara

A nossa viagem até às Cinque Terre começou depois de uma curta passagem por Génova e Portofino, cidades sobre as quais vos iremos falar noutro artigo. O apartamento em que ficaríamos alojados situava-se em Riomaggiore e acertámos em cheio. Esta é uma aldeia espetacular, com uma marina muito colorida e casas impressionantes que combinam perfeitamente com o verde das montanhas.

Apanhámos o comboio até Riomaggiore e logo tivemos que caminhar até ao nosso hotel. Mesmo assim, a aldeia dispõe de elevadores junto à estação de comboios, o que facilita o transporte das malas. Além disso, Riomaggiore é uma aldeia cheia de vida, com restaurantes pitorescos e vários negócios marcados pela simpatia dos seus empregados.

pizza italiana
Comer pizza na marinha de Riomaggiore © lavidaesmara

Entre as coisas que podes fazer em Riomaggiore destacaríamos:

  • O passeio pelas suas ruas que parecem verdadeiros labirintos;
  • Trekking de Riomaggiore até Manarola pela Via Beccara;
  • Castello di Riomaggiore;
  • Assistir ao pôr-do-sol na marinha e saborear uma pizza autêntica;
  • Jantar com vista para o mar (restaurante Fuori Rotta ou Dau Cila).

Foi também desde aqui que apanhámos o icónico traghetto que percorre as Cinque Terre e Portovenere durante 1 dia inteiro! Uma atividade impressionante, por apenas 37€ por pessoa, para descobrir as Cinque Terre desde a água.

Manarola

Cinque Terre
Manarola © lavidaesmara

Manarola é uma aldeia muito animada. Trata-se da cidade mais antiga das Cinque Terre e faz parte do município de Riomaggiore, que se encontra justo ao lado. É limitado lateralmente pelo Mar da Ligúria e pelos Alpes Apuanos.

Manarola também tem um porto muito bonito e há muito que podes fazer. Entre as atividades recomendamos:

  • Um aperitivo no restaurante Nessun Dorma, com pratos tipicamente italianos e um dos mais famosos restaurantes das Cinque Terre;
  • Visitar o Manarola Scenic Viewpoint para aproveitar a melhor vista, sentar-se e maravilhar-se com o som dos pássaros e do mar;
  • Visitar o Castelo de Manarola e a Igreja de São Lourenço, de estilo gótico no exterior e barroco no interior;
  • Trekking de Manarola até Riomaggiore.
Manarola
Manarola vista desde as montanhas © lavidaesmara

Em tempos, Manarola e Riomaggiore estavam ligados pelo célebre caminho Via dell’Amore, o Caminho do Amor. No entanto, este foi parcialmente destruído por queda de pedras, que são comuns nesta zona. Estão a tentar renová-lo, mas há muito trabalho pela frente.

De qualquer maneira, poderás percorrer outro caminho desde as montanhas bastante exigente fisicamente e para o qual deverás estar preparado. A vista panorâmica vale a pena porque percebes o tamanho das colinas que unem as diferentes vilas da região. No cimo da montanha encontras outra aldeia, a de Volastra que certamente farás a pergunta “como é que alguém decide construir casas ali?”.

Corniglia

Corniglia
Corniglia © lavidaesmara

Foi a aldeia das Cinque Terre que menos vezes visitámos, por ser aquela com acessos mais limitados. De qualquer maneira passámos um fim de tarde magnífico em Corniglia.

Para chegar ao centro da cidade precisas de reunir energias e subir uma longa escadaria – com 382 degraus – desde a estação de comboios. Uma vez no centro de Corniglia é muito fácil caminhar e até descansar.

Mercearia com fruta fresca
Mercearia em Corniglia © lavidaesmara

Curiosamente, Corniglia está situada num penhasco a 100 metros de altura e não pode ser acedida desde o mar. Isso acaba por ser uma vantagem, por ser a aldeia com menor número de turistas. Entre as coisas que podes fazer em Corniglia destacamos:

  • Passeio pelo centro de Corniglia, cheio de mercearias e gelatarias;
  • Visitar a Igreja gótica de San Pietro;
  • Visitar o Largo Taragio, que data do século século XVII com o Oratorio dei Disciplinati di Santa Caterina e alguns bares;
  • Caminhar até ao Miradouro de Santa Maria, com uma vista panorâmica privilegiada para Vernazza e Monterosso al Mare.

Entre Corniglia e Vernazza encontra-se a praia de Guvano, a favorita dos amantes de águas transparentes. Para chegar à Praia de Guvano será preciso percorrer o “Sentiero Azzurro” durante aproximadamente 1h30 minutos.

Apesar de ser uma praia sossegada, foi-nos dada a informação que o caminho não se encontra em bom estado e até pode ser perigoso. Convém sempre informar-se junto da informação turística para perceber que percursos estão disponíveis ao público.

Vernazza

Vernazza
Vernazza © lavidaesmara

Continuamos a nossa viagem pelas Cinque Terre com a chegada a Vernazza, com uma baía de águas cristalinas que tantas vezes serve de pano de fundo aos cartazes do Parque Nacional. Vernazza é a maior comuna – com 12 km2, mas a sua população não vai além dos 1000 habitantes. O problema são os turistas que enchem as suas ruas apertadas!

Apesar disso, Vernazza tem muito encanto, sobretudo desde o alto. Nós ainda tentámos subir a montanha, mas a trilha é paga. Mesmo assim, vale a pena:

  • Passear até à Igreja de Santa Margerita di Antiochia, que se encontra à beira mar;
  • Visitar o Castelo Doria, onde encontramos a torre Belforte, com vista de 360° sobre a aldeia;
  • Caminhar até ao lado oposto do Castelo Doria para fotografá-lo;
  • Praia na baía de Vernazza: este é um lugar muito bom para ir a banhos, sobretudo com a maré baixa e pela manhã, antes de se iniciarem as viagens de barco que conectam as Cinque Terre.

Podes ainda caminhar de Vernazza até Monterosso al Mare, algo que levará aproximadamente 90 minutos.

¿Qué vas a hacer en Cinque Terre?

Monterosso al Mare

praia em Monterosso al Mare
Monterosso al Mare © lavidaesmara

Monterosso al Mare é uma aldeia – quase cidade – dificilmente descrita em palavras. É um espaço especial, com tudo aquilo que melhor caracteriza as Cinque Terre, mas onde encontramos a melhor praia desta zona. Foi ali que nos sentimos mais confortáveis para ir a banhos e onde passamos grande parte dos nossos dias.

Esta é a mais ocidental e mais populosa aldeia das Cinque Terre. A aldeia está situada bem no coração de um golfo natural e está dividida em duas partes. De um lado encontramos a cidade antiga e do outro a cidade moderna. Ambas estão ligadas por um túnel e também por um extenso caminho, que também alcança o Convento dei Cappuccini.

Estátua em São Francisco
São Francisco de Assis em Monterosso © lavidaesmara

Na zona velha de Monterosso al Mare é possível deslumbrar-se rapidamente com as lojas de produtos típicos, pelo cheiro a pesto ou e também a limão que paira no ar. Aliás, no dia 19 de maio decorre a Festa do Limão em Monterosso al Mare, na qual esta aldeia das Cinque Terre fica pintada de amarelo e pelo ar só cheira a limão.

Quanto à zona mais moderna de Monterosso al Mare, a zona Fegina, poderás prestar atenção aos seus edifícios arquitetónicos com cores bastante marcantes. Nós decidimos ficar mais tempo possível na Spiaggia di Fegina, por ser um recanto muito requintado e animado. Como visitámos as Cinque Terre em época baixa, não estava muita gente e pagámos apenas 25€ pelas espreguiçadeiras e guarda-sol.

Spiaggia di Fegina
Spiaggia di Fegina em Monterosso al Mare © lavidaesmara

Por ser muito ampla, Monterosso al Mare oferece um maior número de restaurantes e também maiores ofertas em termos de alojamento. De referir ainda que o nome Monterosso al Mare é muito semelhante a Portorosso, a cidade de “Luca”, filme de animação da Disney-Pixar inspirado pelas Cinque Terre.

Como ir até às Cinque Terre na Itália?

As Cinque Terre estão a aproximadamente 100 km a sudeste de Génova, mais próximas até da cidade de La Spezia e para lá chegar não terás quaisquer inconvenientes. Faz como nós e apanha o comboio até esta região – comprámos os bilhetes na página Trainline, mas também podes fazê-lo em qualquer estação ferroviária.

Cinque Terre
Manarola © lavidaesmara

Se estiveres interessado em chegar às Cinque Terre por mar, fica a saber que desde o início da primavera ao final do verão, são várias as embarcações que saem de La Spezia, Portovenere, Portofino e Lerici e que alcançam Riomaggiore, Manarola, Vernazza e Monterosso al Mare. Todas as Cinque Terre estão conectadas por comboio, mas atenção porque existem barcos que não param em todas as estações.

As viagens de comboio nas Cinque Terre são muito confortáveis e demoram pouco tempo. Em menos de 3 minutos consegues passar de Riomaggiore a Manarola, só para que tenhas uma pequena noção do quão pequeno é este parque.

Não te aconselhamos a alugar carro nas Cinque Terre, uma vez que estacionar é caro e um pesadelo. Utiliza os transportes públicos e aproveita para fazer caminhadas a pé em segurança!

Cinque Terre onde ficar hospedado?

São várias as opções de alojamento nas Cinque Terre, mas gostaríamos de falar da nossa experiência no apartamento donadelmar2, reserva que fizémos via Booking.

Se inicialmente tínhamos um alojamento em La Spezia, decidimos mudar a reserva uns dias antes da nossa viagem, porque queríamos realmente contactar de perto com a vida das Cinque Terre.

Torre de igreja em Riomaggiore
Vista para a igreja em Riomaggiore © lavidaesmara

O apartamento donadelmar2 está situado no cimo de uma colina, porém não tivemos qualquer problema em lá chegar.

O anfitrião estava à nossa espera na estação de comboios e acompanhou-nos até à sua casa, com vista privilegiada sobre as montanhas e sobre o mar e onde tivemos a sorte de sermos despertados todas as manhãs pelo sino da Igreja de São João Baptista – Chiesa di San Giovanni Battista di Riomaggiore.

alojamento Cinque Terre
donadelmar, o nosso alojamento em Riomaggiore © lavidaesmara

Pagámos apenas 344€ para três noites por 1 apartamento completo, mas acabámos por passar a maior parte do tempo fora de casa. Conseguimos encontrar este alojamento a baixo custo, porque a nossa viagem foi feita em maio, quando ainda não existe a enchente de turistas do verão. Um lugar totalmente recomendado para casais!

Qual a melhor época do ano para visitar as Cinque Terre?

A melhor época do ano para visitar as Cinque Terre é a primavera ou os primeiros dias de outono, porque os preços são mais apelativos. Se estás a pensar visitar as Cinque Terre no verão, deixamos-te o aviso que as tuas férias não vão ser baratas nem calmas.

Durante os meses de julho e agosto, os preços triplicam na região, seja para alojamento como para alimentação. Há que ter em atenção, porque os habitantes da região da Ligúria são conhecidos como os mais gananciosos de Itália, um verdadeiro estigma que por vezes parece verdade!

Cinque Terre
Vernazza © lavidaesmara

Nós visitámos as Cinque Terre em maio e tivemos sorte não só pelos preços, como pelos dias brilhantes de sol que se fizeram sentir. Uma experiência que não podes perder!

Tenta não confundir as Cinque Terre com a Costa Amalfitana ou com as vilas burguesas do Lago de Como. São locais totalmente distintos, todos eles com elementos inimitáveis.

Quantos dias são precisos para conhecer as Cinque Terre?

Para aqueles que procuram conectar-se com calma aos sítios que visitam, poderão visitar as Cinque Terre tranquilamente durante 1 semana. Terão tempo para praia, para passear pelas montanhas sem pressas e poderão observar atentamente a vida de todos os dias que se cumpre em cada uma das Cinque Terre.

Vista para as Cinque Terre
Praia de Monterosso al Mare © lavidaesmara

Se infelizmente não tens muito tempo, também poderás realizar um tour de 1 dia nas Cinque Terre. São muitos os portugueses que na sua viagem até Milão, pretendem deixar algum tempo extra para uma excursão até às Cinque Terre. Desde Milão esta é uma experiência de 13 horas e custa 129 € por pessoa.

Se estiveres próximo de La Spezia, em cidades como Pisa ou Florência, poderás fazer uma excursão de comboio pelas Cinque Terre que custa apenas 49 € por pessoa.

De acordo com a nossa experiência, recomendamos-te a reservar 3 ou 4 noites nas Cinque Terre. Terás tempo para fazer tudo aquilo que já mencionamos, desde o pôr-do-sol a passeios de barco.

Cinque Terre: de barco e de comboio

Riomaggiore
Viagem de barco com vista para Riomaggiore © lavidaesmara

A melhor experiência de viagem à descoberta pelas Cinque Terre faz-se de barco. Durante 1 dia entenderás melhor a vida quotidiana e turística de Riomaggiore, Manarola, Vernazza, Monterosso al Mare e ainda fazer uma viagem até Portovenere ou até Levanto, cidade vizinhas.

Gozarás de vistas panorâmicas desde o mar, onde se percebem as dimensões deste lugar e a sua encosta. De certo modo, sentimo-nos muito próximos da atmosfera transmitida em “Luca”.

Os barcos das Cinque Terre estão disponíveis todos os dias, desde o final de março até aos inícios de novembro. Os restantes meses são frios e perigosos para aventurar-se nesta experiência. Os bilhetes de barco estão disponíveis nas bilheteiras, perto dos pontos de embarque, e devem ser adquiridos no dia da partida.

Com um bilhete diário é possível visitar 4 das aldeias das Cinque Terre. As viagens custam 30€ para adultos e 15€ para crianças, mas nós pagámos 37€ porque queríamos visitar também Portovenere.

preços dos barcos
Preços dos barcos em Cinque Terre © lavidaesmara

O comboio também é uma extraordinária opção para visitar as Cinque Terre. É um meio de transporte rápido e bastante eficiente. As estações ficam no centro de cada aldeia e não precisas de caminhar muito, sendo a única excepção Corniglia.

Os bilhetes para cada viagem custam 5€ por pessoa, mas podes adquirir o cartão diária, muito mais económico. Eis as opções para adultos (dos 12 aos 69 anos):

  • Carta Treno MS 1 dia: 18,20€ (válido até meia-noite do dia da validação);
  • Carta Treno MS 2 dias: 33€ (válido até meia-noite do dia seguinte à validação);
  • Carta Treno MS 3 dias: 47€ (válido até meia-noite do segundo dia após a validação).

Os cartões de comboio das Cinque Terre podem ser adquiridos em todas as estações de comboio, assim como nos balcões de informações turísticas espalhados pelas Cinque Terre, Levanto e La Spezia.

O que comer nas Cinque Terre?

Gelado
Gelado italiano em Corniglia © lavidaesmara

Quando falamos de Itália falamos de boa comida. Se estás a pensar visitar as Cinque Terre, então tens mesmo que preparar a tua barriga para coisas saborosas e com boa pinta. A comida típica das Cinque Terre é muito à base de peixe e ervas aromáticas, muito vastas na Ligúria. Recomendamos-te a saborear:

  • Mexilhões recheados com pão ralado, ovos, queijo parmesão, alho e salsa;
  • Anchovas, que podem ser salgadas, fritas ou marinadas. Em Monterosso al Mare existem duas festas que celebram a anchova;
  • A célebre focaccia, sobretudo a de queijo (formaggio), a de cebola e a clássica focaccia genovese;
  • Farinata di ceci, que é uma espécie de quiche de grão-de-bico muito rica e com muito sabor a alecrim.
  • Basílico e pesto que encontram-se à venda em pequenos frascos por praticamente todas as lojas. Muito do pesto é artesanal e biológico;
  • Trofie ou trenette al pesto, são o nosso prato preferido das Cinque Terre e que está presente no filme “Luca”. Podes seguir a receita como é indicada no vídeo abaixo.

Os pratos nas Cinque Terre não são tão baratos como em Portugal. Normalmente um prato principal custa acima dos 15€, mas temos a certeza que vais sair do restaurante saciado. Se não quiseres gastar muito dinheiro podes comprar uma pizza, que estão à venda a partir dos 5€ em várias pizzerias. Outra opção será cozinhar num apartamento em que estiveres alojado, mas as mercearias também têm preços elevados.

Mapa das Cinque Terre

pôr do sol
Pôr do sol em Riomaggiore © lavidaesmara

Ainda não sabes onde ficam as Cinque Terre no mapa da Itália? Vamos ajudar-te a perceber onde é que se encontram estes pequenos sítios que parecem saídos de um quadro.

Para nós todas as Cinque Terre valem a pena. Enquanto os amantes de praia deverão ficar por Monterosso al Mare, os amantes de montanha e de uma vida na serra mais tranquila vão preferir Corniglia. O centro de Vernazza, por exemplo, não exige tanto esforço físico, ao contrário de Manarola e Riomaggiore. Estes locais, tão poderosos e com uma energia que te fará sentir em casa, merecem ser contemplados com os verdadeiros olhos de ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *