Lecco: Uma viagem relaxante pelos pontos turísticos dos Pré-Alpes

Lungolago di Lecco

Desvendamos os pontos turísticos de Lecco, a cidade de Alessandro Manzoni nas margens do Lago di Como e bem perto dos Pré-Alpes.

O que fazer em Lecco? A comuna italiana um dos locais mais bonitos que visitámos no Lago de Como e queremos falar-te sobre ela.

Aquele ramo do lago de Como, que se volta para o meio-dia, entre duas cadeias de montanhas intactas… marca o ponto em que o lago cessa, e o Adda recomeça, para retomar o nome do lago onde as margens se afastam.

Assim começa “Os Noivos” de Alessandro Manzoni, o principal romance italiano publicado pela primeira vez em 1827. Decorrente do sucesso do livro, nascia o fascínio pelo Lago di Como.

O Lago de Como é um dos mais pitoresco do mundo, sendo difícil encontrarmos palavras para descrevê-lo num só texto. Nele há uma pureza infinita que desperta em nós uma série de emoções. Seja em Varenna, Bellagio ou em Menaggio ou até na cidade de Como, existe muito por explorar.  O essencial é desfrutar da viagem com calma e respirar ar puro proveniente dos Pré-Alpes Bergamascos, com amplas vistas sobre as suas águas rejuvenescedoras.

Lecco na Itália
Montanhas de Lecco © lavidaesmara

Desta vamos levar-te numa viagem até Lecco, a comuna italiana que serviu de inspiração a Manzoni e a quem deve o sucesso. Lecco é a cidade de Alessandro Manzoni por excelência, pois a Villa del Caleotto pertencia à sua família, ainda antes do seu nascimento em 1785. Atualmente Museu Manzoni é um dos privilegiados pontos turísticos de Lecco e conta com uma das mais abastecidas bibliotecas italianas.

Mas então o que fazer em Lecco? Vale a pena conhecer Lecco? Desde logo, poderemos referir que esta foi uma das nossas viagens mais relaxantes pela Itália, uma vez que estávamos na companhia de amigos e juntos acabámos por descobrir as montanhas que tanto espanto causaram a Leonardo Da Vinci. O artista utilizou-as como fundo da obra “A Virgem das Rochas” exposta no Museu do Louvre em Paris.

Como ir de Como para Lecco?

Com pouco mais de 45.500 habitantes e uma área total de 45,93 km², Lecco é uma cidade na ponta do lago em “Y” que muitos turistas querem descobrir e há várias formas para lá chegar. Poderás utilizar um táxi, autocarro ou até comboio.

Caso prefiras ir de Como a Lecco em autocarro terás que apanhar o C40. Quanto ao comboio, poderás apanhar o comboio regional em Como até Monza (RE80) e depois trocar para o suburbano S8.

Viagem a Lecco
Os Pré-Alpes Bergamascos terminam em Lecco © lavidaesmara

Outra das opções, que foi exatamente aquela utilizada por nós, é ir de Como até Lecco em carro particular. Tardámos apenas 45 minutos para chegar a Lecco, embora na vinda – devido a algum trânsito – tenhamos demorado mais de 1 hora.

De qualquer das maneiras, é possível visitar Lecco em apenas 1 dia e assim conhecer todos os seus cantos.

Cidade natal de Alessandro Manzoni

Lecco é a cidade d’”Os Noivos” e portanto começamos por destacar tudo aquilo que podes fazer na cidade relacionado com a obra. A Villa Manzoni e a Casa Museu fazem parte da história e identidade do povo de Lecco.

A Villa Manzoni está situada na Via Don Guanella e abre ao público de terça a domingo das 10h às 18h. Quartas e quintas-feiras encerra às 13h.

A Villa Manzoni em Lecco pertenceu à família de 1615 a 1818, ano em que Alessandro Manzoni vendeu-a à família Scola. Foi ali que o escritor passou a infância e a adolescência, antes de ir para Paris com a mãe. Na Villa Manzoni é possível perceber as influências do poeta e contemplar as paisagens sobre o Lago de Como.

A moradia é composta por pórticos neoclássicos e por uma fachada com frisos de cerâmica. A Villa tinha uma horta nas redondezas onde eram plantadas amoreiras e vinhas determinantes para a procriação do bicho da seda, cuja indústria estabeleceu-se em Lecco e em Como. O pai de Alessandro Manzoni, Pietro Manzoni, está sepultado na Capela da Assunção e o altar conta com uma obra de Carlo Preda (1654-1729).

No Museu Manzoni poderás observar móveis originais, estátuas, pinturas, desenhos e objetos pessoais da família Mazoni. Existem algumas representações das cenas de “Os Noivos” e cartazes do filme realizado por Mario Camerini, destacado na lista de filmes rodados no Lago de Como. No segundo andar, encontra-se a Galeria de Arte Municipal de Lecco, com gravuras e fotografias que referem a heterogeneidade do local.

Centro Histórico de Lecco: O que visitar?

O Centro Histórico de Lecco é pequeno, mas acabámo-nos por nos perder! Seguimos as indicações do Google Maps e, azar o nosso, estavam erradas.

Beneficiamos, contudo, da boa simpatia dos habitantes de Lecco que nos orientaram. Depois desse imprevisto, o nosso roteiro de 1 dia em Lecco continuou e percorremos algumas das ruas do centro.

No Centro Histórico de Lecco poderás contemplar estátuas de personalidades, como Alessandro Manzoni, Giuseppe Garibaldi e uma exuberante estátua de ouro de San Nicolò, padroeiro da cidade. Presta atenção à estátua a Mario Cermanati em Lecco (vê a foto em cima), localizada na praça com o seu nome.

Com Carlo Vercelloni, Cermenati fez nascer os museus cívicos de Lecco, onde expões o amor pela geologia e pelos trabalhos de Leonardo da Vinci.

Basílica de San Nicolò

Nesta viagem a Lecco na Itália não poderia faltar uma foto à torre da Basilica de San Nicolò. Com 96 metros, tem a mesma altura do Big Ben em Londres e é um dos campanários mais altos de Itália. O raro formato faz lembrar um lápis e é essa a designação dada pelos locais.

O que fazer em Lecco
Campanário da Basílica di San Nicolò em Lecco © Pixabay

A torre da Basilica de San Nicolò tem estilo neo-gótico e foi edificada no século XV, a fim de reforçar o sistema defensivo da cidade. Nela é possível perceber um troço da antiga muralha que envolvia a cidade e, com alguma surpresa, vimos que não se encontra conectada à basílica, cuja construção aconteceu somente no século XVII.

Quanto à fachada da Basilica tem estilo neoclássico, sendo alicerçada por seis colunas de 1774 criadas por Antonio Maria Fontana. A basílica já foi alvo de várias modificações e as mais relevantes aconteceram em meados do século XIX pelo arquiteto Giuseppe Bovara.

Lungolago de Lecco: Uma caminhada de fim de verão

Nada melhor do que caminhar junto do Lago de Como em Lecco e deixar-se cativar pela sua beleza. Tivemos sorte de visitar Lecco em 1 dia iluminado de sol, que aos poucos foi coberto por um fino manto de nuvens.  A caminhada ao longo do cais foi uma forma de descontrair e encerrar um verão das nossas vidas.

Lungolago di Lecco
Vista desde o Lungolago di Lecco © lavidaesmara

O Lungolago de Lecco estende-se desde a estrada que permite a entrada na cidade até um memorial de guerra. Neste lugar existem espaços para todos, desde uma área infantil a bancos de jardim onde todos se poderão sentar. Há obviamente bastante espaço para circular em bicicleta.

Sentimos um charme precioso em Lecco, que nos abriu os olhos para um mundo diferente. A partir dali, só os Alpes são o limite. A simplicidade da cidade de Lecco fez-nos perceber que Itália também pode ser uma viagem interior, de busca pela paz e não apenas um país das grandes metrópoles como Roma, Veneza ou a movimentada Milão. Se gostares de Lecco, poderás dar um salto até à praia de Abbadia Lariana, onde a energia sossegada continua a sentir-se.

patos e cisne em lago
Cisnes e patos no Lago de Como em Lecco © lavidaesmara

Origens de Lecco: História e Nome

Lecco surgiu nas margens do Lago de Como como cidade medieval e o seu crescimento mais significativo decorreu no século XIV quando os Visconti, grandes senhores de Milão, mandaram construir a sua muralha.

Com a morte do último herdeiro da família Visconti, deu-se início à República Ambrosiana, com o estado a ser confiado ao autoproclamado duque Franscesco Sforza.

Abbadia Lariana
Visto o sudeste do Lago de Como © lavidaesmara

Depois de um período conturbado, Lecco que sempre fora um ponto estratégico, passou para as mãos dos espanhóis, a seguir para os franceses e até para o domínio austríaco, que anexou o Ducado de Milão ao seu Império em 1713.

A cidade chegou a ser dividida por várias nações e apenas com a unificação do Reino de Itália em 1861 voltou a delimitar as fronteiras italianas. Quanto ao nome, a quem diga que deriva do celto “Lech” que quer dizer lago, numa referência ao Lago de Como. Aliás, os celtas foram estabeleceram-se em Lecco por volta de 1000 a.C.

Em breve voltaremos aos nossos roteiros por Itália, um dos nossos países favoritos. Fica atento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.