O que ver em Milão ao final da tarde: 5 paragens obrigatórias

O que ver em Milão

Sabias que é possível ver Milão em apenas 1 dia? Conhece alguns pontos turísticos da cidade da moda que se tornaram paragem obrigatória.

Queres saber o que ver em Milão num final de tarde? Neste artigo recomendamos-te uma série de pontos turísticos de Milão que deves visitar sobretudo ao entardecer com a luz mais quente do sol.

Mas antes disso queremos dar a nossa opinião sobre esta cidade. Será que vale a pena visitar Milão na Itália? O que tem Milão que não encontramos noutras cidades europeias? O que fazer em Milão em 1 dia?

É possível visitar Milão em 1 dia?

Não queremos de todo diminuir os encantos de Milão, mas acreditamos que é possível descobrir esta cidade em 1 dia. Em primeiro lugar, temos que admitir que não somos muito apreciadores de cidades metropolitanas pela Europa. Costumam estar cheias de gente, de altos níveis de stress e ansiedade e nem sequer existe espaço nas suas ruas para caminhadas descontraídas.

As pessoas em Milão movem-se com frenetismo, parece que não param para pensar. No entanto, como contraponto, nas grandes cidades como Milão ocorrem os melhores eventos culturais, além de existirem inúmeros monumentos, determinantes na consolidação da história de um país. Milão não é excepção.

Duomo di Milano
Catedral de Milão © lavidaesmara

Milão é uma cidade recheada de eventos, com muito trânsito e azáfama. É a cidade da moda e a cidade do design, e uma cidade várias vezes mencionada na sétima arte em Itália. Contudo, atualmente, sofre pela densidade populacional, pelo repetitivo e fatigante movimento de elétricos, carros, bicicletas e autocarros, pelos fortes encontrões seja no metro, como nas suas ruas mais emblemáticas e acaba por perder um certo fascínio.

Sem mais demoras, queremos ajudar-te a descobrir os monumentos e pontos turísticos em Milão a visitar pelo menos uma vez na vida. São poucos, mas Milão tem alguns espaços de irreverente beleza arquitetónico que te poderão fazer esquecer o ruído em redor.

Sabias que, com cerca de 1 404 239 habitantes, e milhões de turistas todos os dias, Milão é a segunda maior cidade de Itália (seguida apenas de Roma) e a 3ª maior cidade em área metropolitana da União Europeia. Mas então o que ver em Milão durante um final de tarde? Prepara já a tua bucket-list. 

Estação Central de Milão: História e como visitar

O que ver em Milão
Estação Central de Milão © Pixabay

A nossa viagem em Milão começou na mais exuberante estação de comboios que alguma vez visitámos nas nossas vidas. A estação central de Milão é um poderoso marco arquitetónico europeu e mesmo aqueles que passam por ela apenas para trocar de linha de comboio, serão arrebatados pela sua amplitude. A estação Milano Centrale foi inaugurada em 1931 de forma a substituir a estação na Piazza della Repubblica, ali foi edificada em 1864, mas que precisava de ser ampliada.  Falamos precisamente dos anos da Revolução Industrial em Milão, quando o norte de Itália e sobretudo a Lombardia sofrerão reformas nas suas infra-estruturas.

A Estação Central de Milão está situada na Duca d’Aosta e os seus pórticos são de uma opulência surpreendente com 28 metros de altura com espaço para 400 mil passageiros que ali passam todos os dias. É considerado uma das estações ferroviárias mais importantes da Europa.

O responsável pela arquitetura da Estação Central de Milão foi Ulisse Stacchini, que colocou uma série de elementos simbólicos nas estátuas do espaço, como as águias que referem a conquista de Trento e Trieste, ou os cavalos que representam a agricultura e trabalhos da terra. Contam-se ainda 4 máscaras de Mercúrio para referir o símbolo da industrialização e o avanço das ferrovias.

Estação Central de Milão
Estação Central de Milão © lavidaesmara

No total são 24 plataformas com área de 66 000 m2, números realmente impressionantes. Contudo não te deixes deslumbrar com o mármore das paredes da Estação Central de Milão, é apenas uma ilusão porque o edifício foi criado a partir de gesso, água, selenito e escaiola.

Depois da Estação Central de Milão apanhámos o metro num dos pisos subterrâneos e, com a ajuda de um profissional, apanhámos a linha está à Catedral de Milão. Tomámos a linha de metro M3 e saímos na paragem Duomo.

Duomo di Milano: Características e Curiosidades

No La Vida es Mara queremos apresentar-te todas as características do Duomo di Milano (Catedral de Milão). Milão parece que só faz sentido pela existência da sua Catedral, em italiano conhecida como o Duomo di Milano e uma das maiores do mundo, com 11.700m². Tem capacidade para mais de 40.000 pessoas.

Catedral de Milão
Fachada da Catedral de Milão © lavidaesmara

Na verdade, todas as visitas à capital lombarda precisam de incluir uma foto à fachada de uma das mais majestosas catedrais do mundo. A Catedral del Duomo em Milão é expoente máximo desta cidade e o local que a melhor a define. Em seu redor, há um conjunto de bares e restaurantes para um delicioso aperitivo durante a golden hour.

O estilo gótico flamejante da Catedral del Duomo em Milão irá arrepiar-te assim que a contemplas desde as escadarias da saída do metro Duomo. Foi construída a partir de 1386 e conta com 45 metros de altura, 157 metros de comprimento e 109 metros de largura. A construção da catedral seguiu as intenções do arcebispo local Antonio da Saluzzo, mas não ficou concluída de imediato. Na realidade, o Duomo di Milano passou por cinco séculos de obras e ficou concluída em 1965. Inúmeros foram os arquitetos e engenheiros envolvidos na sua história.

As características do Duomo di Milano que mais saltam à vista são a fachada em mármore branco-rosa e os vários pináculos e agulhas no topo. No ponto mais alto da Catedral temos uma estátua de Nossa Senhora, a Madonnina, construída em 1774 com 14 metros feita de cobre e com 3.900 pedaços de folha de ouro. No total existem 3.500 estátuas de santos na Catedral de Milão.

Catedral de Milão
Terraço da Catedral de Milão © Pixabay

Se ainda não tiveste tempo de visitar Milão em Itália nem a sua catedral, não deverás perder a oportunidade de ver o filme “Rocco e os Seus Irmãos” do cineasta Luchino Visconti, cuja família teve um papel determinante na história do norte de Itália. Nesse filme, vemos o ator Alain Delon a percorrer o terraço da Catedral do Milão com Annie Girardot. O filme foi rodado no local, e resume em poucos minutos a magnificência da Catedral. Abaixo conhece o preço dos bilhetes para o Duomo di Milano.

Duomo di Milano: Bilhetes e Horário

O preço dos bilhetes da entrada no Duomo di Milano é de 9€ para subir as 201 escadas até chegar ao terraço e 13€ caso prefiras utilizar o elevador. Obviamente se tiveres em boa forma física recomendamos-te a subir as escadas e consegues poupar algum dinheiro.

O horário de funcionamento do Duomo di Milano é suficiente para desfrutares da experiência no topo da Catedral. O acesso ao terraço pode ser feito todos os dias das 9h às 19h.

Galeria Vittorio Emanuele II em Milão: Como visitar? Quanto custa?

O que ver em Milão

O ponto que mais turistas desejam conhecer em Milão é a Galeria Vittorio Emanuele II – ou “Il salotto di Milano” como é referida pelos milaneses -, a galeria comercial mais antiga da Itália.

Designada assim em homenagem ao primeiro rei do Reino de Itália, Vittorio Emanuele II, o espaço surgiu a partir de uma ideia original do arquiteto Giuseppe Mengoni e foi construída entre 1865 e 1877.

O que ver em Milão

Para além de aí serem encontradas lojas das marcas mais conceituadas do mundo da moda como Gucci, Prada, Versace ou Louis Vuitton, a Galeria Vittorio Emmanuele II tem alguns peculiares elementos estético-arquitetónicos.

A começar pelos dois arcos perpendiculares cobertos por uma abóbada envidraçada de ferro, que abrange a rua que liga a Piazza del Duomo à Piazza della Scala (praça onde encontramos o icónico Teatro Alla Scala). A cobertura tem 14,5 metros de largura e 8,5 metros de altura.

O que ver em Milão
Cúpula da Galeria Vittorio Emanuele II em Milão © lavidaesmara

A Galeria Vittorio Emanuele II é muito afamada pelos seus mosaicos no piso, que referem as principais cidades italianas. O mosaico referente à cidade de Milão é o mosaico de Napoleão, a cidade de Florença e Roma tem a loba a amamentar Rómulo e Remo (ver fotografia abaixo), e Turim tem um touro.

O que ver em Milão
Piso da Galeria Vittorio Emanuele com loba e os irmãos fundadores de Roma © lavidaesmara

O touro de Milão é o mais emblemático, porque segundo a tradição, no último dia do ano, os milaneses iam à galeria para pisar os seus genitais, revelando o seu ódio pelos torinenses. Faziam um círculo em volta do touro para terem sorte no ano que estava prestes a iniciar.

Depois da Galeria Vittorio Emanuele II irás andar um pouco a pé até chegar ao Castello Sforzesco. Aproveita para tirar fotos às ruas de Milão, ao seu famoso elétrico ou às várias fontes e igrejas que se encontram no local. Nós fizemo-lo, mas não perdemos muito tempo, porque ficámos relativamente surpresos com a quantidade de gente na cidade!

Castello Sforzesco de Milão: História e como visitar

Chegámos finalmente ao Castello Sforzesco, onde tivemos oportunidade de encontrar algum sossego depois da multidão que nos cruzámos. O Castello Sforzesco é uma grande fortaleza medieval renascentista inagurada em 1360 por Galeazzo Il Visconti. Quando o último herdeiro da família Visconti morreu, Fillipo Maria a fortaleza acabaria por ser destruída pelos próprios milaneses.

O que ver em Milão
Castello Sforzesco em Milão © lavidaesmara

Depois disso, Milão recebeu o General Francesco Sforza, genro de Fillipo Maria que conseguiu trabalhar a fim de reerguer a fortaleza e ampliá-la. Nasceriam assim a grande torre que se encontra na entrada e outros pequenos torres que circundam o Castello. O século XV foi importante para o Castello Sforzesco em Milão, pois ali foram recebidos os maiores artistas do Renascimento, entre os quais o próprio Leonardo Da Vinci que realizou uma série de frescos no seu interior.

Curiosidades sobre o Castello Sforzesco

Com alguma surpresa, ficámos a saber que no Castello Sforzesco em Milão encontramos o túmulo de D. Duarte de Bragança, o irmão do rei D. João IV de Portugal e que ali acabou por falecer, depois de ser encarcerado durante 6 anos na Torre Rocchetta do castelo. Não poderemos imaginar tamanha tortura.

Infelizmente, falamos dos anos da Restauração da Independência de Portugal face a Espanha, e o Rei D. João IV ainda chegou a pedir ao Papa Inocêncio X para libertar o seu irmão, mas a Igreja Católica e o Vaticano ainda não reconheciam a independência portuguesa nem o legítimo Rei como o máximo governante do nosso país. Uma Uma história triste que deixou marcas na história de Milão e, claro, na história de Portugal.

Hoje Portugal e Itália fazem parte da União Europeia e têm boas relações políticas e culturais, o que acaba por ofuscar todas as tragédias.

Castello Sforzesco: Preço e Horário

Gostarias de visitar o Castello Sforzesco? O Castello está aberto todos os dias da semana, das 7h às 19h30. Portanto será o local ideal para visitar ao amanhecer ou ao anoitecer para ver um fantástico pôr-do-sol na Itália. Já os museus no interior do Castello Sforzesco estão abertos de terça a domingo das 9h às 17h30. Nas segundas encontram-se encerrados.

O que ver em Itália
Castello Sforzesco em Milão © lavidaesmara

Dentro do Castello Sforzesco encontramos o Museu de Arte Antiga, a Pinacoteca, o Museu da Pré-História, o Museu dos Instrumentos, o Museu de Artes Decorativos, o Museu Egípcio. A entrada geral nestes museus é de 10€, enquanto que a fortaleza de Milão  tem um preço totalmente gratuito.

Dentro do Castello Sforzesco encontra-se o verdejante Parco Sempione, um dos espaços mais relaxantes de Milão e onde poderás conhecer a Ponte delle Sirenette ou o Aquário de Milão. O preço dos bilhetes no Aquário Cívico de Milão é de 5€ ou 3 € (valor reduzido para estudantes e reformados).

Arco della Pace em Milão

À saída do parque poderás encontrar o Arco della Pace de Milão, uma espécie de arco do triunfo de estilo neo-clássico, dedicado à paz entre os diferentes países europeus e que foi obtida do Congresso de Viena em 1815, cujo principal intuito era restabelecer as fronteiras europeias depois das Invasões Napoleónicas. A inauguração do Arco della Pace em Milão aconteceu a 10 de setembro de 1838.

O que ver em Milão
Arco della Pace em Milão © Pixabay

Nós só tivemos tempo de conhecer estes locais em Milão. Depois decidimos regressar tranquilamente à Estação Central de Milão onde nos perdemos no meio de livros da icónica livraria LaFeltrinelli, cujo nome refere o editor e ativista político italiano Giangiacomo Feltrinelli. Chegámos a Como por volta das 21h30, onde estávamos alojados. A viagem de Milão até Como San Giovanni é direta e, se estiveres alojamento na capital lombarda não te esqueças do passeio no Lago de Como.

O que achas de Milão? Já alguma vez visitaste a metrópole? Segue-nos no Instagram para mais experiências sempre enriquecedoras em termos de viagens e de contacto com outras culturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *